sexta-feira, julho 25, 2008

Gabapentina

A gabapentina é um aminoácido estruturalmente relacionado ao GABA e atua principalmente potencializando a função gabaérgica, por influenciar a síntese e concentração do GABA, bloqueando os canais de cálcio e ligando-se ao receptor de gabapentina, relacionado aos canais de cálcio voltagem-dependentes. Não sofre metabolização e não apresenta interação com outras substâncias. É excretada pelos rins e, em casos de insuficiência renal, há necessidade de ajuste de doses. Sua ampla faixa terapêutica (900 a 3.600 mg/dia) pode dificultar a adesão ao tratamento. Seus principais efeitos colaterais são sedação, ataxia (em geral leves e transitórios) e edema de membros inferiores.
Os resultados dos estudos abertos na mania aguda sugeriram que a associação de gabapentina poderia ser útil no tratamento da mania, inclusive em casos de má resposta aos tratamentos anteriores; porém, estudos controlados não confirmaram os resultados. Em estudo controlado de Frye et al a eficácia antidepressiva da gabapentina foi comparável à do placebo. Não encontramos, até o presente momento estudos controlados na profilaxia
A gabapentina é um aminoácido estruturalmente relacionado ao GABA e atua principalmente potencializando a função gabaérgica, por influenciar a síntese e concentração do GABA, bloqueando os canais de cálcio e ligando-se ao receptor de gabapentina, relacionado aos canais de cálcio voltagem-dependentes. Não sofre metabolização e não apresenta interação com outras substâncias. É excretada pelos rins e, em casos de insuficiência renal, há necessidade de ajuste de doses. Sua ampla faixa terapêutica (900 a 3.600 mg/dia) pode dificultar a adesão ao tratamento. Seus principais efeitos colaterais são sedação, ataxia (em geral leves e transitórios) e edema de membros inferiores.
Os resultados dos estudos abertos na mania aguda sugeriram que a associação de gabapentina poderia ser útil no tratamento da mania, inclusive em casos de má resposta aos tratamentos anteriores; porém, estudos controlados não confirmaram os resultados. Em estudo controlado de Frye et al a eficácia antidepressiva da gabapentina foi comparável à do placebo. Não encontramos, até o presente momento estudos controlados na profilaxia.

Fonte: MORENO et all. Anticonvulsivantes e antipsicóticos no tratamento do transtorno bipolar.
Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1516-44462004000700009&script=sci_arttext&tlng=pt

5 comentários:

Anônimo disse...

Então, estou tomando a gabapentina como profilaxia da enxaqueca, será que está correto?

Ivone disse...

Se está correto eu não sei, mas meu médico também me receitou o mesmo medicamento para a enxaqueca.


Ivone

fran disse...

to com fibriomialgia to tomando gabapentina 250mg ta correto?

Maison Liandra Olivier disse...

to tomando porque tive herpes hoster sera que ta correto liandra

Anônimo disse...

Sim, está correto, a gabapentina também atua na melhora da enxaqueca