sexta-feira, julho 25, 2008

Topiramato

O topiramato é um anticonvulsivante com amplo potencial de ação. Entre seus efeitos estão a potencialização da atividade do GABA, a diminuição da atividade dos canais de cálcio sensíveis à voltagem, a inibição da anidrase carbônica e o antagonismo da atividade do glutamato nos receptores não-NMDA (N-metil-D-aspartato). Os principais efeitos colaterais relatados foram: sonolência, fadiga, dificuldades de concentração, tonturas, náuseas, vômitos, anorexia e perda de peso, parestesias, confusão mental depressão, mais intensos no início do tratamento e relacionados à rápida escalada de doses, e alterações hepáticas foram também descritas.
Estudos abertos sugeriram efeitos benéficos da associação do topiramato, em especial em casos de mania ou estados mistos, com má resposta aos tratamentos anteriores, onde cerca de 50% (n=225) dos pacientes responderam positivamente. Resultados de um estudo duplo-cego controlado com placebo (n=97) mostraram que doses de topiramato equivalentes a 512 mg/dia não foram significativamente superiores ao placebo. Na depressão bipolar, estudos abertos sugeriram um possível benefício em casos de má resposta aos tratamentos e sua associação promoveu a resposta em 54% dos pacientes. Em outro estudo, simples-cego, não se observaram diferenças significativas entre o topiramato (dose média: 176 mg/dia) e a bupropiona (dose média: 250 mg/dia), somente maior perda de peso (1,2 kg e 5,8kg respectivamente). Alguma eficácia da adição do topiramato em pacientes com história de má resposta a outros estabilizadores do humor, inclusive em casos de ciclagem rápida36 foi observada em estudos abertos. Estudos controlados são necessários para melhor avaliar sua eficácia no tratamento profilático. Estudos em animais relacionaram a exposição ao topiramato a malformações craniofaciais e demonstraram que o topiramato é excretado no leite de ratas, mas não há dados conclusivos em humanos e recomenda-se cautela com seu uso em lactantes.

Fonte: MORENO et all. Anticonvulsivantes e antipsicóticos no tratamento do transtorno bipolar.
Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1516-44462004000700009&script=sci_arttext&tlng=pt


2 comentários:

Wladimir disse...

Estou desde agosto de 2008 desvendando o mistério sobre litemia x TSH4 que desde 2004, devido o "SUS' não manter especialistas no sistema tenho sido atendido por clínicos gerais 4º e 5º anistas,que não acompanharam os níveis séricos dos citados hormnônios, daí hipotiroidísamo secundário, toxiplasmosse, e agora glaucomacoma ângulo fechado e para finalizar o medicamento receitado 300mg topiramato, ser corithiano tudo bem mas, assim ja´é demais, os desecontros e o e tempo teêm sido muito longos e as conseguências gravssímas.
Peço a Vossas Senhorias que já se encontram um quanto avançandosicom estes casos que me auxiliem, pois minha qualidade de vida, esta sem dúvida bem abaixo de qualquer expecatviva que qua qualquer ser humanao dexia desfrutar , sem se citar a vida sexual.
WLADIMIR TRINDADE
RG 11.456.016-X
GESTOR DE NEGÓCIOS
EX DESENHISTA PROJETISTA

História de um Surto disse...

Ei pessoal, veja só o vídeo que eu fiz sobre o uso do topiramato. Espero que ajude. Abraços http://www.youtube.com/watch?v=lxSMREf1U3U&feature=player_detailpage